Kit de Sobrevivência do Músico – 6 Táticas

Você está aqui: Home » Kit de Sobrevivência do Músico – 6 Táticas

Kit de Sobrevivência do Músico – 6 Táticas

Kit de Sobrevivência do Músico – 6 Táticas para melhorar a performance musical

Abaixo estão listadas 6 táticas baseadas na Técnica Alexander que compõem o “Kit de Sobrevivência do Músico”. Conheça as táticas e coloque-as em prática!

1. Organize seu tempo sabiamente

Muitas coisas precisam ser feitas e praticadas para que um músico cresça e desenvolva sua habilidade artística: técnica, repertório, desenvolvimento pessoal, escuta, troca, etc… Porém, Roma não foi feita num dia! No processo da otimização da performance através da conscientização corporal, encontrarmos no caminho escolhas que no primeiro olhar são contra-intuitivas. Para eu chegar mais rápido, o impulso é começar a correr! Mas através da nossa inteligência existe uma outra escolha: parar, se acalmar, definir estratégias específicas para serem empregadas, e “vambora”! Nesta segunda possibilidade, as minhas chances de sucesso aumentam drasticamente.

 

2. Aprenda como se recuperar

‘Repouso Construtivo’ é uma ferramenta para se centrar e rapidamente recuperar de tensões excessivas. O exercício é descrito neste post anterior. Necessita apenas um pedaço de chão limpo, alguns livros e 15 minutinhos do seu tempo (pode ser mais ou menos). ‘Relaxamento’ é algo que o músico necessita e relaxamento dinâmico é algo que o músico precisa mais ainda, pois o querer é para poder tocar ou cantar com músculos e alma alertas e tranquilos, e não tocar com uma predisposição ‘frouxa’.

 

3. Se aqueça, se alongue, se centre

Cada músico tem o seu ‘ritual’ para começar sua prática diária. O ritual de alguns músicos consiste em tocar algumas escadas, o ritual de outros é não ter ritual, e vários de nós temos como ritual se estressar. Sim, não é o meu português da grega no Brasil, é isso mesmo. Você já teve a experiência de começar a sua prática com um pouco de estresse no background? Se for o caso, parte do seu ritual pode ser se preparar para estresse e nervosismo inconscientemente… Se você faz o seu estudo no contexto de estresse (em outras palavras; tensão excessiva), você está ensinando o seu corpo a ficar tenso enquanto está tocando. Introduza um ritual de cinco minutos antes da sua prática para conectar-se consigo mesmo, repare sua disposição e deixe todas as suas preocupações, medos, inseguranças e estresses de lado ou num pedaço de papel. Além do seu aquecimento físico, este aquecimento psicofísico vai te proporcionar uma condição de concentração mais profundo. Repita este ritual cada vez que surgir o menor sinal de estresse durante o teu estudo.

 

4. Pare de tentar relaxar!

Os músculos sabem fazer só duas coisas: se contrair e parar de se contrair. OS MÚSCULOS NÃO SABEM RELAXAR! Simplesmente não existe essa possibilidade no funcionamento do nosso sistema muscular. Ficar pedindo isso para as partes do seu corpo talvez produza um resultado instantâneo, mas o corpo não consegue ‘relaxar’ e estar ativo ao mesmo tempo; essa confusão gera maior tensão e estresse. Ao invés de tentar relaxar o seu corpo, entenda porque o seu corpo está ficando tenso. Ás vezes é sua técnica que não funciona, as vezes a falta de práticas de preparação (se centrar) e recuperação (repouso construtivo) ou pode ser estudo repetitivo. Conheça algumas estratégias de estudo inteligente neste artigo anterior.

 

5. Conheça o seu corpo

Conheci a Técnica Alexander como um último recurso para lidar com tendinite crônica nos dois braços. Esse método foi o único que me ajudou resolver esse problema. Diferente da maioria dos outros recursos que tinha tentado, durante a aprendizagem da Técnica Alexander o foco não foi mais os meus dois antebraços, mas o todo – tanto as ligações entre as estruturas (cabeça, coluna, braços e pernas), quanto a ligação entre a intensão musical e o funcionamento do corpo. Sem conhecer como funciona o a minha estrutura, eu não teria acesso a uma postura fluida e um tônus muscular dinâmico e flexível, fatores que me proporcionaram e ainda me proporcionam um contexto onde a auto-cura pode acontecer sem interferência.

 

6. Junte o seu time de apoio

Ninguém consegue chegar muito longe sem um ‘porto seguro’, um espaço dentro de si onde dá para se aliviar dos desafios da vida. Este porto seguro não pode ser fora de nós – fluidez, tranquilidade e paz interna, está sempre dentro de nós, e o processo de desenvolvimento e amadurecimento é num sentido, a revelação deste potencial. Para eu me aprender melhor preciso de apoio, mestres, cuidadores, apontadores. Se você não tiver um ‘time de apoio’, talvez é hora de considerar juntar um…

 

2017-10-16T19:54:41+00:00

Leave A Comment