O que nos move?

Observando exemplos de movimentos sem esforços e eu penso:

O que nos move? 

Vamos imaginar a estrutura humana; e se removêssemos toda a pele, depois os músculos e em seguida os ossos?… O que é nossa essência na sua mais profunda e simples forma?  Minha resposta hoje é: Energia. Uma energia não espiritual nem imaginária; o quero dizer é a energia fluindo em todo nosso sistema nervoso.

Consciência corporal, intenção e prática musical – intenção é a energia que flui em todo o nosso sistema nervoso

Preview of the new “Body Worlds” exhibit that will open at the Denver Museum of Nature and Science. Visit to museum on Tuesday, March 9, 2010. Central and peripheral nervous system. Cyrus McCrimmon, The Denver Post

O que nós move NÃO são os músculos nem os ossos. O QUE NOS MOVE É A NOSSA INTENÇÃO!

Ossos e músculos são somente um suporte dessa minha intenção; eles não são os que pensam nem os que se movem – eles são o time de suporte!

Vamos brincar fazendo uma pequena experiência:

Levante,  e apenas deixe que a gravidade te suporte através da sola dos seus pés.

Enquanto os braços estão pendurados dos dois lados do  corpo, deixei seus dedos levarem os braços, afastando-os do dorso. Dê tempo para entender quem leva quem; Não é o braço inteiro, não é o ombro, nem as costas; quero deixar os meus dedos levem a minha mão, para que a mão leve o braço, na maneira que o leopardo deixa a cabeça levar o corpo.

Essa é a parte mais importante do nosso pequeno experimento, assim sendo,  demore o tempo que precisar para observar qual parte de você normalmente quer levar o movimento.

Se fizer o movimento devagar, é bem provável que sinta um cansaço depois de um tempo. A gente esquece facilmente que não é o músculo que faz o movimento, mas é a sua Intenção. Dessa maneira, esse experimento funciona como um convite para deixar a tensão muscular ir embora, mantendo a intenção. Como eu faço isso? Comece de novo, e dessa vez durante o experimento, tente lembrar de duas ideias

1. Não importa em que posição estão os braços, o suporte do meu sistema inteiro virá da sola dos meus pés.

2. Eu quero que meus dedos levem minhas mãos para que minhas mãos levem meus braços. A direção não é “para cima”, mas “para fora”, afastado do corpo.

Dica: Sempre contente! Um sorriso no rosto vai encorajar seus os olhos a ficarem acordados e seu sistema respirando! Não fique sério tornando a experiência em uma sessão de tortura; a vida é curta demais para esse tipo de coisa…

Escolhi esse experimento hoje pois é uma versão simplificada de todos os movimentos com os braços, então esse pequeno “exercício” pode ser aplicado em qualquer atividade que envolve os braços; dirigir, escovar os dentes, tocar um instrumento etc.

Se você gostaria de mergulhar mais no processo, clique aqui.

By |2017-10-17T14:07:47-02:0011 de novembro de 2013|

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.