3 Simples Passos da Prática Livre

By | 2018-04-01T15:30:35+00:00 1 de Fevereiro de 2018|

“Nenhum problema pode ser resolvido com o mesmo grau de consciência que o gerou” - Albert Einstein Sempre fui uma criança impaciente. Começando a tocar, levei essa minha impaciência na minha prática diária e muito rápido probleminhas começaram a surgir. Quando queremos algo, é possível que na hora de tentar alcançar nosso desejo, nós esquecemos o que mais importa - a nossa própria felicidade e bem-estar. Sem isso, nossa música não crescerá, e mesmo se conseguir tocar tal coisa com esforço e tensão, aquilo não vai nos servir ao longo prazo. Em algum momento – pode ser na hora da apresentação, pode ser daqui dois anos - a tensão ‘aprendida’ durante a prática vai virar um obstáculo. É possível, que nosso corpo tensione quando encontramos com um problema, seja técnico, interpretativo ou de outra natureza. O primeiro passo ao enfrentar qualquer problema durante sua prática é parar. Quando estamos no carro dirigindo em uma direção que não vai nos levar onde queremos ir, às vezes precisamos parar o carro para 1) ver onde nós estamos, 2) definir onde queremos ir e 3) traçar um plano sobre como chegaremos lá. Parar  Na tradição Zen, [...]

O Princípio de (Des)Prazer na Prática – por Pedro de Alcantara

By | 2018-02-01T17:58:33+00:00 26 de agosto de 2017|

Pedro de Alcantara é o convidado especial do blog CCPM. Neste artigo, ele dá 12 dicas essenciais para você reconhecer seus padrões de comportamento e organizar sua prática para maximizar o essencial (mesmo desagradável) e minimizar o prejudicial (mesmo agradável). Você acorda grogue depois de ficar virando na cama. Talvez a noite foi quente demais, talvez seu companheiro ou sua companheira roncou pra caramba – não importa. Tudo o que importa é o café, o néctar preto que levantará seu humor e lhe dará esperança por mais um dia. Você se levanta, faz seu café, começa a tomar. E, milagre dos milagres, tudo rapidamente muda. Sua circulação acelera, sua dor de cabeça desaparece, a criatividade se desperta e você perdoa seu companheiro(a). Então você está pronto para sair da casa e se juntar à orquestra para o seu ensaio matinal. Prazer e desprazer determinam muito do que fazemos, seja nas escolhas banais que fazemos sobre comer, beber e dormir, ou nas questões mais sutis de interação pessoal, crenças estéticas e métodos de trabalho. E obviamente também é assim com a sua prática diária. Tudo o que você faz na sala de prática acontece ao longo [...]

Autoconfiança na performance musical: 6 táticas de estudo para construir competência e potência emocional para tocar ou cantar

By | 2018-02-01T17:54:05+00:00 3 de Maio de 2017|

Ao estabelecer uma conexão entre mente e corpo, uma das premissas da Técnica Alexander, o aluno entra contato com um novo nível de autoconfiança na performance musical, além de adquirir competência e potência emocional para tocar ou cantar. A metodologia de estudo colocada aqui consiste em seis táticas que descobri como percussionista erudita. Na música clássica, o nível de perfeccionismo exigido é tão alto que facilmente faz a nossa alma congelar! Tentando cuidar do meu corpo durante o estudo para a minha tendinite crônica não voltar, eu descobri que as táticas que estava aplicando para não machucar os meus músculos estavam proporcionando um nível de tranquilidade emocional e autoconfiança nova no meu tocar, melhorando minha performance musical. Aqui vão as táticas que me ajudaram neste processo de construção de autoconfiança na performance musical: Tática 1 – ‘Estudo inteligente vs repetição’ É uma situação muito comum entre músicos, chegar numa parte difícil e senão conseguir o resultado desejado na primeira vez, ficar repetindo este trecho até ficar melhor. Preste atenção no que está realmente acontecendo neste instante. Repetindo o trecho na esperança de que vai melhorar, estou ensinando o meu sistema nervoso fazer associações em relação a este trecho do tipo: "preciso repetir este trecho, então este trecho é difícil", "ele [...]

Consciência corporal, intenção e prática musical

By | 2017-10-16T19:54:40+00:00 20 de Março de 2017|

Na prática musical, o que nos move não são nossos músculos ou ossos. O que nos move, no fundo, é a nossa intenção. Músculos e ossos são nosso time de suporte e é na intenção que reside o primeiro impulso para toda ação que praticamos.  Vamos fazer uma pequena experiência que vai nos ajudar, depois, em nossa prática musical: levante-se, fique em pé e, com o corpo “solto”, utilize apenas a sola dos seus pés como apoio (já falei sobre apoio aqui). Enquanto os braços estão pendurados dos dois lados do corpo, deixe seus dedos levarem os braços, afastando-os do dorso. Dê tempo para entender quem leva quem: não é o braço inteiro, não é o ombro, nem as costas. Deixe que seus dedos levem a sua mão, para que a mão leve o braço, da mesma maneira que o leopardo deixa a cabeça levar o corpo quando está em uma corrida de caça. Essa é a parte mais importante dessa experiência. Assim sendo, demore o tempo que precisar para observar qual parte de você normalmente quer levar o movimento. Esteja atento a isso, perceba-se. Lembre-se que a intenção é a energia que flui em todo o nosso sistema nervoso. Se fizer o movimento devagar, é [...]

O apoio corporal e o impacto na performance musical

By | 2017-10-16T19:54:40+00:00 3 de Março de 2017|

Hábitos de tensão excessiva prejudicam a performance musical e estão diretamente relacionados à falta de apoio corporal. Antes de começarmos a falar sobre a performance musical e sua relação direta com o apoio corporal, quero que você responda a uma pergunta simples: “Onde está o apoio do meu corpo enquanto leio esse texto?”. Se estiver lendo em frente ao computador (ou no celular/tablet) é provável que esteja mais ou menos assim: Normalmente, quando nos fazemos essa pergunta, percebemos que algo está errado e rapidamente nos arrumamos “corretamente” na cadeira. O problema disso é que não temos como saber qual é a postura “correta”. E, por essa razão, o que acontece é: a gente assume a postura, “senta direito” por algum tempo e aí deixa o corpo entrar em colapso novamente. Na Consciência Corporal para Músicos exploramos os dois princípios básicos da Técnica Alexander: LIGAÇÃO ENTRE MENTE E CORPO. Hábitos de tensão muscular são hábitos MENTAIS. Por exemplo: ideias preconcebidas da quantidade de tensão necessária em cada atividade e/ou uma visão confusa de como o corpo funciona. O EQUILÍBRIO DA CABEÇA EM CIMA DA COLUNA. O tônus muscular no corpo sempre é determinado pela qualidade na qual a cabeça se equilibra em cima da [...]

Nós vs. Playmobil: o equilíbrio é o que está em jogo!

By | 2017-10-16T19:54:40+00:00 14 de Fevereiro de 2017|

Como a Técnica Alexander me ensinou que o “simples” ato de sentar ou de manter o equilíbrio tem mais a ver com o apoio que acontece de cima para baixo do que com o apoio que vem de baixo para cima. Existe uma diferença básica entre o ser humano e o Playmobil: se ambos estão em pé, há alguma semelhança de constituição corporal (cabeça, tronco e membros), mas se ambos dormirem em pé, o boneco (obviamente) vai continuar em pé. Ao contrário do humano, que não consegue dormir e, ao mesmo tempo, manter o equilíbrio em cima dos seus dois pés. E eis aqui a primeira lição óbvia e necessária sobre equilíbrio: Quando dormimos, não conseguimos nos manter equilibrados.   Investigando mais a fundo essa constatação óbvia, percebo que o problema de se equilibrar enquanto dormimos está diretamente relacionado com o peso de nossa “cabeça adormecida”. Em outras palavras, o “cérebro desatento” (ou atento demais!) não consegue um equilíbrio apropriado no topo da coluna. É possível verificar isso a qualquer momento, apenas observando os dorminhocos nos metrôs e ônibus pela cidade. E o que eu entendo dessa informação é: Existe uma conexão vital entre o EQUILÍBRIO e o fato de estar ACORDADO. Agora, vamos mudar [...]

Violinistas vs. Gravidade: quem ganha essa partida?

By | 2017-10-16T19:54:40+00:00 9 de Fevereiro de 2017|

Lutar contra a gravidade e repetir padrões de tensão é a fórmula perfeita para violinistas terem dores nas costas, no pescoço e nos ombros. E isso influencia na liberdade dos movimentos e, consequentemente, em um som menos ressonante. Certa vez, apresentei alguns princípios da Técnica Alexander para violinistas do corpo docente do Projeto Guri Santa Marcelina, em São Paulo. Como sempre, comecei dizendo a eles que a Técnica Alexander não é um conjunto de regras que devem ser seguidas. Antes disso: trata-se de uma ferramenta que facilita ao músico fazer tudo o que ele quer fazer, porém, com um pouco mais de liberdade em seus movimentos. E essa ideia ficou tão clara para todos que o grande destaque do processo não foi o que eles fizeram ou disseram, mas uma descoberta simples e fundamental: naquele jogo, a gravidade estava ganhando de 1 a 0 dos violinistas! Após um pouco de trabalho com base na Técnica, aplicando algumas ferramentas, o principal feedback dos professores foi que eles se sentiram mais apoiados. A grande notícia, no entanto, ainda estava por vir. Quando eles finalmente pegaram seus violinos para tocar, o feedback de todos estava ligado a uma ideia principal: Violinistas estão constantemente [...]

Dor na hora de tocar? O que fazer? A resposta está no problema!

By | 2017-10-16T19:54:40+00:00 7 de Fevereiro de 2017|

Por que fico com dor na hora de tocar? Como posso me livrar dela? As perguntas são frequentes e a resposta é mais simples do que se imagina: observe seu corpo e seus padrões de tensão muscular. Carla é uma pianista que se queixa de sentir dor ha hora de tocar piano. E essa dor acontece na parte inferior das costas, especialmente do lado esquerdo. Colocando a minha mão sobre sua região lombar, senti claramente os músculos do lado esquerdo muito mais contraídos do que os músculos do lado direito. Ela disse: “Deve ser minha escoliose”. Sim, ela estava certa. Há, de fato, uma escoliose acompanhando a contração exagerada nos músculos do lado esquerdo da região lombar. Essa contração, por sua vez, causa dor recorrente em sua lombar, o que a prejudica quando passa horas tocando seu instrumento. “E agora, o que podemos fazer?” é geralmente a próxima pergunta. Neste momento repito o que é absolutamente claro para mim em qualquer situação de dor: A RESPOSTA ESTÁ NO PROBLEMA. E se é assim, como podemos começar a chegar mais perto da resposta sem entender completamente o problema? Vamos, então, entender o problema e observá-lo de outros ângulos. Voltando à escoliose de Carla: será que [...]

Como funciona a Técnica Alexander, 7 Princípios: Inibição

By | 2017-10-17T00:07:06+00:00 14 de Janeiro de 2017|

Qual é a diferença entre a EFICIÊNCIA do ser humano e a do gato? Vamos descobrir lendo sobre o sexto princípio: a inibição. 6. Inibição Vamos começar com o que temos em comum: ambos os humanos e os gatos normalmente não pensam sobre como nós executamos o movimento. Nós dois trazemos atenção à isso só quando é realmente preciso: o gato para executar um grande salto, nós para executamos uma frase musical complexa. Porém, nessa similaridade tem uma grande diferença: quando o gato estima a distância do salto, ele não usa lógica, ele usa a intuição. Para nós conseguimos executar a música difícil, não há intuição ou comportamento instintivo que vá nos ajudar, nossa única ferramenta é a lógica. Na Técnica Alexander nós trazemos essa lógica à ação. O primeiro passo é chamado de ‘inibição’, um termo que Alexander emprestou da neurologia. Inibição, como oposto de excitação, é o tempo quase imperceptível entre estimulo e resposta. Este tempo é a nossa oportunidade de evitar a resposta automática(tensão muscular excessiva) e escolher uma resposta desejável (esforço que precisa – não mais, nem menos). Escolhe uma frase musical complexa, vamos dar atenção àquele instante de preparação: Para criar som, tem que conectar com o seu instrumento, então vai ter [...]